Por razões de segurança crítica do seu computador e devido ao elevado risco de "contaminação" por virus (o que é?) e/ou spyware (o que é?),
deveria actualizar de imediato o seu Internet Explorer 6. Recomendamos a versão mais recente (grátis) ou outro browser grátis: Firefox, Opera, Safari ou Chrome.

[X] Esconder esta mensagem.

<br>© Vanessa Chrystie - Abutre, 2022- Óleo e tinta fluorescente sobre tecido tingido e impresso com plantas

Ver

Exposição a decorrer:

Vanessa Chrystie

Natureza Morta

de 2022-05-20 a 2022-06-23

Sopro de vida

Tendo a arte história, importa observá-la para além da narrativa, bem interiorizada, sobre o desenvolvimento e constante alteração dos meios e dos modos de produção artística, registando, pelo contrário, a permanência ou recorrência de questões estruturantes sob o pano de fundo dessas alterações. Os trabalhos da Vanessa Chrystie (VC) reunidos nesta exposição mergulham as raízes da sua atualidade, da sua pertinência e da sua construção formal exatamente aí, na recorrência essencial ao artístico. Encontramo-la em, pelo menos, três dimensões importantes destas obras: a aproximação ao mundo natural mediada pela pintura; a relação com o mundo contemporâneo orientada por uma consciência ecológica e uma expressão ativista; e o trabalho ao nível das estruturas da representação, neste caso especialmente motivado pela inesgotável equação figura-fundo, dando cada vez maior protagonismo a este último.

A noção de que a natureza proporciona uma experiência estética privilegiada, que a arte procura reproduzir, apropriar, ou igualar, é uma das ideias fundadoras da produção artística. Seja por via da representação, do registo, ou da abertura de campos de experiência, a referência ao mundo natural mantém-se como uma constante da história da arte, tendo superado radicalmente os limites da mimesis inicial. Representar e registar espécimes naturais foi também um meio de aprofundar o conhecimento sobre a flora e a fauna, familiar ou exótica, por via de rigorosas metodologias científicas ou ao sabor da curiosidade individual. Com um extremo fixado pela determinação em explorar recursos naturais, especialmente no contexto da dominação colonial, a representação e o registo das espécies naturais parece associar duas dimensões aparentemente contraditórias: maravilhamento e violência. Encontramos ambos na pintura de VC, o que me permitiu começar por destacar a tomada de posição crítica que a artista mantém face ao estado do mundo, ou seja a dimensão ativista que a sua obra comporta. As imagens da fauna que VC compõe com registos impressos da flora, associando-lhes ainda palavras e frases embebidas, e a representação de fragilíssimas bolas de sabão ou balões, conformam um universo de referência mostrado como o avesso da vontade de dominação do mundo natural. A sua violência já não radica na instrumentalização da natureza, mas no dar-a-ver a tragédia que dessa instrumentalização resultou: a ameaça ecológica que paira sobre o planeta e, muito concretamente, a extinção anunciada sobre um número crescente de espécies. As aves, os pequenos predadores e todas as outras espécies silvestres, mais ou menos familiares, mais ou menos simpáticas — rãs, morcegos, ratos, coelhos, corujas, gatos selvagens... — que povoam a pintura de VC produzem um maravilhamento que jamais deixa cair o desespero face à evidência do seu próximo desaparecimento. Essa violenta realidade surge ainda empolada na série de desenhos a tinta vermelha sobre papel impresso com plantas, como evocação da proximidade da guerra, já que as espécies dos pássaros retratadas são aquelas cuja ameaçada de extinção une num laço inesperado os territórios da Península Ibérica e da Ucrânia.

Por fim, importa registar que a consciência ecológica e o ativismo de VC não prescindem do trabalho pictórico ao nível das estruturas da representação. Quero com isto dizer que estas obras reiteram a recorrência do jogo de relações figura-fundo essencial à pintura. Concretamente, VC dá vida à matéria dos seus fundos, trabalhando com técnicas de impressão os próprios suportes de tecido ou papel. As técnicas que usa resgatam saberes ancestrais, em regra guardados por mulheres, sobre a utilização de plantas, da luz, do calor, ou sobre a utilização de agentes de coloração naturais como ferro e bugalhos, em procedimentos de impressão por contacto.  Estes processos inscrevem a consciência ecológica, primeiro associada às figuras e às palavras, numa dimensão estrutural e permitem a VC trazer aos seus fundos-natureza um sopro de vida que se propaga em todas as composições.

 Joana Cunha Leal

 

 

 

<br>© Vanessa Chrystie - Abutre, 2022- Óleo e tinta fluorescente sobre tecido tingido e impresso com plantas
<br>© Vanessa Chrystie-Vida Rural,2022 - Pintura a gouache, desenho de grafite sobre papel tingido e impresso com plantas , 105 x 125 cm .
<br>© Vanessa Chrystie - Flamingo, 2022 Óleo e tinta fluorescente sobre tecido tingido e impresso com plantas
<br>© Lince Ibérico, 2022 – Óleo e tinta fluorescente sobre tecido tingido e impresso com plantas -115cmx98cm
Anterior • Seguinte

© 2013 Arte Periférica Galeria - Copywrite, todos os direitos reservados

O site encontra-se protegido por direitos de autor. Todos os direitos de autor ou outros direitos de propriedade intelectual presentes no texto, imagens, software, som e outros conteúdos do site são propriedade da Arte Periférica.
Só é permitido utilizar o conteúdo do site para uso pessoal. Nenhuma parte deste site pode ser reproduzida para venda ou distribuída para ganhos comerciais nem poderá ser modificada ou incorporada em qualquer trabalho, publicação ou site tanto no formato electrónico, como em outros formatos.
Nenhuma licença ou direitos relacionados com o site são concedidos sem a autorização expressa da Arte Periférica.

This site is protected by copyright. All copyright and other intellectual property rights in the text, images, software, audio and other content of the website is property of Arte Periférica.
The use of the site content is allowed for personal use only. No part of this site may be reproduced for sale or distributed for commercial gain nor shall it be modified or incorporated in any work, publication or website either in electronic format or in other formats.
No license or rights relating to the website are provided without the express permission of Arte Periférica. ×