Por razões de segurança crítica do seu computador e devido ao elevado risco de "contaminação" por virus (o que é?) e/ou spyware (o que é?),
deveria actualizar de imediato o seu Internet Explorer 6. Recomendamos a versão mais recente (grátis) ou outro browser grátis: Firefox, Opera, Safari ou Chrome.

[X] Esconder esta mensagem.

Exposição a decorrer: Save Our Ship

2024-05-17 a 2024-06-20

O navio que nos transporta
O navio que nos transporta está em perigo. É esta percepção do mundo que Isabel
Garcia propõe através do tema da sua exposição “Save Our Ship”, entendida como um
SOS que recorda o código Morse: um pedido de socorro ou um grito colectivo desesperado
sobre o futuro da vida no planeta devido às crises generalizadas provocadas pelas crises
climáticas e pela pandemia. (…)
(…) Cada pintura devolve-nos fragmentos imaginários desse futuro em aberto. Se em
“Save Our Ship, citando Anish Kapoor” evoca a exposição “Turning the World Upside
Down” (2011) deste artista e as suas esculturas com superfícies reflectoras, ao contrário de
Kapoor, Isabel Garcia não pretende “virar o mundo de pernas para o ar”, nem suscitar a
contemplação. O seu objectivo é mais urgente e pragmático. Na série de pinturas de
paisagens agora apresentadas – como em “Save Our Ship # 1”, “Save Our Ship
Tempestade” ou “Save Our Ship Luar” – sentimos a força dos elementos ambientais.
Apesar da sua dramaticidade o nosso olhar encontra, estranhamente, na profundidade da
paisagem uma sensação de espaço-tempo. Temperatura, pluviosidade, luminosidade,
profundidade e pressão atmosférica parecem todas elas absorver estes céus em
movimento que se expandem, tal como as montanhas que desaparecem no horizonte. São
céus mais ou menos ameaçadores; montanhas escarpadas também assustadoras; e
plantas, fetos que crescem e desabrocham.
Estas paisagens são construídas com perspectivas em altitude, cujos horizontes
parecem prolongar-se para lá dos limites da tela. Depois, são paisagens que se encadeiam
umas nas outras, formando sequências de imagens que transmitem diferentes sensações e
estados perceptivos. Pintura expandida e sensorial na qual irrompe uma teatralidade
cinematográfica. Os elementos dos pequenos abrigos são agenciadores ou operadores de
significado, tal como os elementos dos pães em “Save Our Ship, # 2”, “# 3”, “#4”, “# 6”, ou
“# 7”. Neles, podem esconder-se perigos que espreitam, tais como minas e armas brancas
como soqueiras. Mas quando vem a aurora e tudo parece renascer, a esperança brilha no
horizonte e o coelho da abundância salta do seu esconderijo. Identicamente, os pães, como
sementes que se abrigam ou suspendem no ar, remetem para a ideia de multiplicação,
espalhando-se na atmosfera.
Como construir então uma ecologia política como advogam os pensadores ecologistas?
Teremos de construir novos modelos institucionais, mudanças éticas e novas formas de
coexistir. Seremos capazes de novas formas de cidadania? São estas questões que ao
conversarmos com Isabel Garcia nos interpelaram ao observar a proposta pictórica de
“Save Our Ship”; ideias que podem actuar e transformar consciências, desencadear
conversas e acções mais ou menos visíveis em nós ao olharmos estas obras.
E creio não ser despiciendo afirmar que a estratégia formal de revisitação da pintura
clássica deu a Isabel Garcia a possibilidade de a transmutar, enquanto construiu um forte
dispositivo comunicacional mais directo para transmitir as questões que a preocupam.
“Poppy Day” * será talvez o fecho da exposição, enquanto símbolo plur-isemântico das
memórias das guerras do século XX. Num momento em que assistimos a mutações
climáticas que afectam a natureza e os seres humanos e não humanos, todos têm de ser
vistos como uma única colectividade ameaçada de extinção. Pois aqui está a arte a
interrogar o futuro do planeta!
Filomena Serra **
*Poppy Day (11 de Novembro) é o dia da lembrança nos países da Commonwealth para recordar os
sacrifícios dos membros das forças armadas e civis em tempos de guerra, sobretudo desde a primeira
guerra mundial.
**Historiadora de Arte e investigadora do Instituto de História Contemporânea da FCSH/Universidade
Nova de Lisboa.

Próxima exposição:
De caminhos, pedras, e floresta

2024-06-22 a 2024-07-31

Exposição anterior:
Os Caribenhos | Los Caribe

2024-03-16 a 2024-04-16

© 2013 Arte Periférica Galeria - Copywrite, todos os direitos reservados

O site encontra-se protegido por direitos de autor. Todos os direitos de autor ou outros direitos de propriedade intelectual presentes no texto, imagens, software, som e outros conteúdos do site são propriedade da Arte Periférica.
Só é permitido utilizar o conteúdo do site para uso pessoal. Nenhuma parte deste site pode ser reproduzida para venda ou distribuída para ganhos comerciais nem poderá ser modificada ou incorporada em qualquer trabalho, publicação ou site tanto no formato electrónico, como em outros formatos.
Nenhuma licença ou direitos relacionados com o site são concedidos sem a autorização expressa da Arte Periférica.

This site is protected by copyright. All copyright and other intellectual property rights in the text, images, software, audio and other content of the website is property of Arte Periférica.
The use of the site content is allowed for personal use only. No part of this site may be reproduced for sale or distributed for commercial gain nor shall it be modified or incorporated in any work, publication or website either in electronic format or in other formats.
No license or rights relating to the website are provided without the express permission of Arte Periférica. ×