Por razões de segurança crítica do seu computador e devido ao elevado risco de "contaminação" por virus (o que é?) e/ou spyware (o que é?),
deveria actualizar de imediato o seu Internet Explorer 6. Recomendamos a versão mais recente (grátis) ou outro browser grátis: Firefox, Opera, Safari ou Chrome.

[X] Esconder esta mensagem.

<br>© Paulo Damião - Actress acting for Bergman, 40x30 cm, óleo sobre tela, 2019

Ver

Exposição a decorrer:

PAULO DAMIÃO

“ How to survive an Island” ou “ Como sobreviver a uma ilha”

de 2020-05-18 a 2020-07-08

“Sonho-me às vezes rei, n'alguma ilha,

Muito longe, nos mares do Oriente,

Onde a noite é balsamica e fulgente

E a lua cheia sobre as aguas brilha…”

em Sonho Oriental, de Antero de Quental.

Esta exposição surge como resultado de uma viagem que fiz a uma ilha, a Irlanda. É, também,  naturalmente, o reflexo do efeito que este percurso físico, emocional e espiritual teve em mim. Isto, talvez, pode ter sido proporcinado por já pertencer a uma outra ilha; a ideia abstrata de já lá ter vivido em tempos, mesmo  sem  isso nunca ter acontecido, numa espécie de catarse, um sentimento ancestral de pertença.

 Esta viagem alertou-me para mais questões do que respostas. Somos todos ilhas e dentro delas a fragilidade de quase sempre sermos o seu único ilhéu. Reconheci rostos e paisagens; revi conhecidos/ desconhecidos, cheiros, casas, a cozinha de conforto. Revivi a poética de pertencermos a um lugar.  

Viver numa ilha é, ao mesmo tempo, resistir ou deixar-se seduzir pelo seu horizonte e ter a ideia de fuga e refúgio nas mesmas proporções, envolvida no mesmo desejo. Um ilhéu é um sobrevivente de si próprio, todos os dias.

Uma ilha é como uma mãe, ora com mil braços até ao coração, ora com mil setas até o endurecer ou ferir.

Paulo Damião

“How to survive an Island”

 

“Sometimes I dream of being a king, on some island,

Far away, in the seas of the East,

Where the night is balmy and glowing

And the full moon shines over the waters…”

in Sonho Oriental, by Antero de Quental.

 

This exhibition comes as a result of a trip I made to an island, Ireland. It is also, of course, a reflection of the effect that this physical, emotional, and spiritual journey had on me. This, perhaps, may have been provided because I already belong to another island; the abstract idea of ​​having lived there in times, even though it never happened, in a kind of catharsis, an ancestral feeling of belonging.

 This trip alerted me to more questions than answers. We are all islands and within them the fragility of almost always being their only islander. I recognized faces and landscapes; I saw acquaintances / strangers, smells, houses, the comfort kitchen. I relived the poetics of belonging to a place.

Living on an island is, at the same time, resisting or letting yourself be seduced by its horizon and having the idea of ​​escape and refuge in the same proportions, involved in the same desire. An islander is a survivor of himself, every day.

An island is like a mother, sometimes with a thousand arms embracing the heart, sometimes with a thousand arrows that harden or hurt you.

 

Paulo Damião

 

 

<br>© Paulo Damião - Actress acting for Bergman, 40x30 cm, óleo sobre tela, 2019
<br>© Paulo Damião - Sem título19, série How to Survive an Island, 65x50 cm, óleo sobre papel, 2020
<br>©Paulo Damião  - Sem título18, série How to Survive an Island, 65x50 cm, óleo sobre papel, 2020
<br>© Sem título8, série Drawing to keep me safe, 55x46 cm, óleo sobre papel, 2019
<br>© First attemp to become a landscape 120x100 cm óleo sobre tela 2019
<br>© Paulo Damião - “Women arguing about island’s poems ”, óleo s tela, 160x140 cm, 201
<br>© Paulo Damião - Brothers pointing out their difference - 140 x 113,5cm
<br>© Paulo Damião - The possible photograph-óleo sobre papel -  140 x 108 cm
<br>© Paulo Damião -  Each person is his own island - Óleo sobre papel - 140 x 113 cm
<br>© Paulo Damião - Do you dare to love or the harmed boy;140x109 cm, óleo s papel tela, 2020
<br>© I have been frozen or hurt, it doesn’t matter,2020; óleo sobre papel tela – 140 x 138 cm
Anterior • Seguinte

© 2013 Arte Periférica Galeria - Copywrite, todos os direitos reservados

O site encontra-se protegido por direitos de autor. Todos os direitos de autor ou outros direitos de propriedade intelectual presentes no texto, imagens, software, som e outros conteúdos do site são propriedade da Arte Periférica.
Só é permitido utilizar o conteúdo do site para uso pessoal. Nenhuma parte deste site pode ser reproduzida para venda ou distribuída para ganhos comerciais nem poderá ser modificada ou incorporada em qualquer trabalho, publicação ou site tanto no formato electrónico, como em outros formatos.
Nenhuma licença ou direitos relacionados com o site são concedidos sem a autorização expressa da Arte Periférica.

This site is protected by copyright. All copyright and other intellectual property rights in the text, images, software, audio and other content of the website is property of Arte Periférica.
The use of the site content is allowed for personal use only. No part of this site may be reproduced for sale or distributed for commercial gain nor shall it be modified or incorporated in any work, publication or website either in electronic format or in other formats.
No license or rights relating to the website are provided without the express permission of Arte Periférica. ×